43o Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas
15 a 17 de agosto - São Paulo Expo | SP

CLIQUE AQUI

Senior apresenta nova plataforma para Gestão de Pessoas no Conarh 2017

A Senior,  empresa especializada em tecnologia para gestão, anuncia uma nova plataforma para Gestão de Pessoas durante o CONARH 2017.

Construída dentro dos conceitos de usabilidade, experiência do usuário e mobilidade, a nova solução da Senior integra o que há de mais moderno dentro das melhores práticas de RH, provocando a transformação digital do RH.

“A Senior está sempre na vanguarda quando o assunto é Gestão de Pessoas. Pela 15ª vez somos uma das cinco empresas do Brasil mais lembradas na maior premiação do setor e nos orgulhamos de entregar soluções inovadoras e aderentes às necessidades dos nossos clientes”, comenta  Carlênio Castelo Branco, CEO da companhia.

Segundo o executivo, a nova solução da Senior foi desenvolvida ouvindo as demandas dos clientes e considerando as tendências em tecnologia e gestão de pessoas. “Realizamos pesquisas frequentes e construímos relacionamentos sólidos com nossos clientes. Dessa forma, trazemos para dentro de casa os desafios enfrentados pelos gestores, os anseios dos colaboradores e as tendências mundiais, entregando uma solução completamente alinhada com as expectativas do mercado, dentro de conceitos inovadores de colaboração, protagonismo e feedback 365”, detalha.

A Senior acredita que a rápida evolução da tecnologia faz com que as pessoas queiram, em seus ambientes de trabalho, recursos similares aos que utilizam na vida particular. Por isso, leva a gestão de pessoas para a palma da mão.  “O RH está em transformação. O mundo já é digital e as áreas de Recursos Humanos das empresas precisam acompanhar essa evolução, trabalhando um RH integralmente digital”, diz. o CEO.

Do mundo para a sua empresa
Dentro das tendências mundiais em Gestão de Pessoas, a nova plataforma da Senior endereça ferramentas alinhadas a novos modelos, como a pesquisa de clima contínua, o feedback espontâneo – também conhecido como feedback 365 –, e novas formas de fazer gestão de desempenho. “Entregamos uma solução 100% móvel, em constante evolução e construída dentro dos preceitos do design thinking para promover a melhor experiência possível. Não é apenas uma mudança de tecnologia, é uma mudança de mentalidade e de cultura”, salienta Castelo Branco.

A Senior defende que, assim como as carreiras, o protagonismo não é uma responsabilidade exclusiva da empresa – mas sim dos colaboradores. “Nesse sentido, para promover e facilitar o protagonismo dentro das organizações, nossas soluções estimulam ações que geram o autodesenvolvimento, sempre visando ao alcance de resultados”, diz.

Conheça os destaques da nova plataforma da Senior:

Recrutamento: a nova solução Gestão de Pessoas | HCM da Senior traz para o processo de recrutamento uma ferramenta poderosa de busca de candidatos, simplicidade na gestão do processo seletivo e no cadastro de currículos e integração com as principais redes sociais do mercado. “Incorporamos na solução a tecnologia cognitiva IBM Watson™ Personality Insights que, por meio de algoritmos avançados, permite identificar os traços de personalidade dos candidatos com base no modelo Big Five – metodologia com análise linguística”, afirma Ricardo Kremer,  gerente de Produto HCM,visando contribuir para que os clientes da Senior reduzam o tempo para fechamento das vagas com uma plataforma 100% móvel, inovadora e eficiente.

Inteligência Artificial: a solução passa a contar com um agente virtual inteligente chamado Sara(em inglês, Senior Automated and Responsive Agent), que usa da computação cognitiva para simplificar e contribuir no acesso às informações da plataforma. Apresentada em pré-lançamento durante o Conarh 2016, a SARA já está presente nas soluções Gestão de Logística | WMS, Gestão de Relacionamento | CRM e Gestão Empresarial | ERP. A chegada efetiva da ferramenta na solução Gestão de Pessoas | HCM posiciona a companhia como uma das primeiras fornecedoras do Brasil a oferecer um completo portfólio de tecnologias para gestão que incorporam funcionalidades de computação cognitiva.

Remuneração: o novo gerenciamento da política de remuneração da Senior passa a contar com uma visão unificada das informações gerenciais por meio de dashboards que proporcionam ao gestor e ao RH mais segurança na tomada de decisão. Além disso, a solução ganhou um fluxo nativo para solicitações de aumento salarial, proporcionando mais transparência e agilidade neste processo. “Com processos cada vez mais automatizados, toda a área de RH fica mais ágil e produtiva”, afirma Kremer.

Pesquisa Contínua de Clima: o lançamento Moods, apresentado pela primeira vez no CONARH 2017, atua no monitoramento do clima organizacional em ciclos curtos e personalizados. A plataforma promove o engajamento do colaborador – que fornece percepções frequentes em torno do clima na empresa de forma divertida, rápida e sigilosa. Assim, o gestor pode direcionar ações com agilidade, aumentando a performance do time e retendo talentos.

Mobilidade no Ponto: a Senior remodelou a interface da sua solução de Ponto para que gestores e colaboradores executem o processo de uma forma simples e rápida. Via internet – de um computador, tablet ou smartphone – os colaboradores podem, por exemplo, incluir atestados dentro da plataforma, o que aumenta a produtividade e reduz os tempos para o fechamento do Ponto. Além disso, a companha incorporou na plataforma uma ferramenta de chat para facilitar a comunicação entre gestor e colaborador, que evidencia a gestão e contribui para a redução do passivo trabalhista.

Investindo uma média anual de R$ 35 milhões em Pesquisa e Desenvolvimento, a Senior tem continuamente validado suas soluções com clientes ainda durante o processo de desenvolvimento. “Já criamos ferramentas para determinados clientes que se tornaram soluções inovadoras que promovem ganhos de produtividade de até 60%”, lembra o CEO da companhia.

De acordo com o executivo, o Fórum Econômico Mundial prevê que 50% dos postos de trabalho serão automatizados em 2050, incluindo cargos executivos. “Pessoas vão parar de fazer a operação e vão atuar de forma ainda mais estratégica. Para isso, todas as pessoas precisarão entender de tecnologia”, alerta Castelo Branco, lembrando que desde 2005 temos visto o trabalho remoto crescer. O estudo Ericsson Mobility Report aponta 103% de crescimento desde essa época. “A Senior está preparada para a transformação digital. Por isso, temos o compromisso de preparar também nossos clientes, construindo ferramentas que os apoiem a ganhar mercado com pessoas engajadas e conectadas”, diz.

Workshops de Design Thinking
Em seu estande no Conarh 2017, a Senior inovará disponibiizando uma cápsula voltada para atividades de Design Thinking. “Queremos proporcionar uma experiência de Design Thinking abordando temas relevantes para os RHs com os participantes do evento”, afirma o gerente de Produto HCM da Senior, Ricardo Kremer.

Palestras e Workshops
Durante o Conarh 2017, a Senior apresenta em seu estande uma série de palestras e workshops que tratam da transformação digital. Confira o cronograma aqui. As palestras têm duração de 45 minutos e, os workshops, de 1 hora.

ABPASS vai promover a alimentação saudável no CONARH 2017

Criada em junho deste ano, a ABPASS – Associação Brasileira para a Promoção da Alimentação Saudável e Sustentável marcará presença em um estande do CONARH 2017, onde nutricionistas vão apresentar uma ferramenta  aplicada para o mapeamento da nutrição dos trabalhadores e dar orientações sobre o quanto a alimentação saudável é importante para a melhoria da saúde do trabalhador e, consequentemente, para reduzir os custos nas empresas.

Telma Anunciato, nutricionista responsável pelo Departamento Técnico da ABPASS, explica que o cuidado preventivo deve ser mais valorizado, e aí se encaixa a participação da associação no evento. “As pessoas estão acostumadas a discutir o valor da fatura da doença, mas poucos ainda questionam por que o pessoal está obeso, tem diabetes ou hipertensão. Trabalhar preventivamente para propiciar saúde começa a ganhar corpo na gestão de Recursos Humanos. Alguns dados do setor apontam que 80% das empresas estimam que no próximo ano o custo continuará sendo maior do que a inflação.”

 

Sopro de Amor no CONARH

 A exemplo de 2016, também em 2017 a ABRH-Brasil apoiará um projeto social durante o CONARH. Para a 43ª edição, a associação escolheu o Instituto Sopro de Amor, de São Paulo. Durante o evento, serão arrecadados alimentos não perecíveis na área de credenciamento, onde voluntários do instituto receberão as doações e poderão dar mais informações sobre o projeto.

A semente do Sopro de Amor foi plantada pouco antes do aniversário de 30 anos de sua idealizadora, Karina Lozov, que decidiu comemorar a data de um jeito diferente: se reuniu com os amigos para promover um grande evento, com música, atividades lúdicas e venda de produtos. A iniciativa atraiu mais de mil pessoas e a renda foi revertida para a Casa da Criança Betinho, abrigo para crianças com paralisia cerebral e primeira instituição a ser adotada pelo projeto. Neste ano, a iniciativa ganhou o status de associação sem fins lucrativos e passou a se chamar Instituto Sopro de Amor. A meta agora é, além de expandir a atuação, assumir integralmente as dietas enterais da Casa da Criança Betinho, o que significa o esforço de angariar, todos os meses, cerca de R$ 20 mil.

“Acreditamos que o amor é um agente poderoso de transmutação e cura. No CONARH, esperamos que as pessoas queiram participar e doem alimentos, mas, principalmente, percebam que podem ter uma atitude altruísta e fazer parte da nossa rede do bem onde quer que estejam, doando seu amor, sua alegria, seu talento e colocando aquilo que elas tiverem de melhor a serviço do próximo”, salienta Karina.

Conheça o Sopro de Amor no Facebook: pt-br.facebook.com/soprodeamorsp

 

 

Amor em Mechas fará ação durante o CONARH 2017

Os participantes do CONARH 2017 – 43º Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas, que a ABRH-Brasil realizará de 15 a 17 de agosto, no São Paulo Expo, na capital paulista, poderão conhecer com detalhes o projeto Amor em Mechas e contribuir com doações.

Na área de credenciamento do evento, voluntários do projeto estarão a postos para divulgar o trabalho realizado e arrecadar cabelo para mulheres em tratamento quimioterápico ou que sofrem de alopecia.

O Amor em Mechas é uma iniciativa de Débora Pieretti Vivaldi, que teve câncer de mama. “Em fevereiro de 2016, durante um evento, ganhei uma peruca. Nesse dia, eu pensei: ‘quando estiver boa, quero que outras mulheres sintam o que sinto agora: autoestima elevada e esperança de dias melhores’”, conta.

O Amor em Mechas arrecada cabelo, o encaminha para a empresa parceira, que confecciona as perucas, e, posteriormente, faz as doações.

Entre março e junho deste ano, o Amor em Mechas entregou 42 Kits do Amor, compostos de uma peruca Vitória Régia e um lenço do Banco de Lenços Flávia Flores. Vale lembrar que, para duas perucas, é necessário arrecadar um quilo de cabelo.

Para os interessados em levar doações, seguem as dicas de Débora:

amor em mechas

Empregados brasileiros não enxergam grande valor nos programas de gestão de desempenho

Dados da Willis Towers Watson, 2016 – Estudo Global da Força de Trabalho e Pesquisa Global sobre Gestão de Talentos e Recompensas Continuar lendo

Prefeito João Doria participará da abertura do congresso

Divulgação

O prefeito de São Paulo, João Doria Jr., participará da abertura do 43ºCONARH, quando apresentará os resultados do primeiro semestre do Trabalho Novo, projeto social que conta com a parceria da ABRH-SP e do Instituto Rede Cidadã. O objetivo do programa é proporcionar o desenvolvimento da autonomia de moradores de rua por meio de oportunidades de emprego. De janeiro a julho deste ano, mais de mil pessoas foram contratadas formalmente por cerca de 50 empresas, de segmentos variados como alimentação, manutenção, limpeza, saúde, varejo e construção civil. Com isso, o Trabalho Novo busca aumentar a retenção dessas pessoas no trabalho, com suporte da Rede Cidadã, que oferece dinâmicas vivenciais para a estabilização emocional dos participantes.

 

Gympass vai levar Drauzio Varella para a Arena da Expo ABRH 2017

O Gympass, startup que possibilita aos colaboradores de diferentes idades, localidades e perfis a prática de atividades físicas como benefício corporativo, é um dos patrocinadores de Merchandising da 43a edição do CONARH. Logo no primeiro dia de evento (15), às 18 horas, a empresa levará ao Espaço Arena a palestra Saúde que dá lucro, com o médico Drauzio Varella. A apresentação será aberta e gratuita para o público da Expo ABRH.

Segundo Marco Crespo, presidente do Gympass no Brasil, o CONARH é um evento muito importante por discutir as principais tendências e estratégias relacionadas à qualidade de vida dos colaboradores e à evolução dos benefícios que influenciam a prática de atividade física e saúde das pessoas.

“Os colaboradores buscam cada vez mais uma vida saudável e equilibrada. Por isso, as empresas precisam estar atentas a essa necessidade e utilizar a tecnologia e a inovação para garantir mais qualidade à vida dos funcionários e, consequentemente, à saúde dos negócios”, salienta.

 

Eu, Robô? – Confira a visão de Gil Giardelli, palestrante do CONARH 2017, sobre talentos na era da transformação digital

A aplicação cada vez mais intensa de tecnologias tem transformado o ambiente de trabalho muito além do que se poderia imaginar. O exercício de prever o futuro laboral hoje passa obrigatoriamente pela convivência com androides, humanoides e outros “oides” que saíram da ficção para se tornar uma realidade no século 21. Esse é um dos efeitos da transformação digital, assunto que não poderia ficar de fora do CONARH 2017 – 43º Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas, que a ABRH-Brasil vai realizar de 15 a 17 de agosto, no São Paulo Expo, na capital paulista.

Entre as apresentações sobre o tema, a conferência magna O Futuro do Talento na Era da Transformação Digital estará a cargo de Gil Giardelli, estudioso da cultura digital, que participará do CONARH no dia 16, às 14h40. Na entrevista a seguir ele antecipa um pouco do que pretende falar aos congressistas do evento.

Transformação Digital é uma expressão hoje presente em todas as áreas das empresas. Na gestão de pessoas, quais são os impactos?
GIL GIARDELLI – São tempos de mudanças disruptivas, tempos dinâmicos, explosivos e de novas estratégias em complexidade, velocidade, convergência e conectividade. Trocam-se empregos chatos de apertar parafusos por empregos em rede de alto coeficiente emocional, espiritual e intelectual. No universo da gestão de pessoas, teremos que capacitá-las para que possam equilibrar a gestão do presente, a inovação e o futuro. Os gestores de pessoas criarão caminhos para que os profissionais saibam utilizar a sociedade em rede a fim de ganhar produtividade e tempo e possam aprender, ensinar e cocriar coletivamente.

O RH tem acompanhado e sabido utilizar as novas tecnologias em seus processos e demandas?
GG – A maioria das ferramentas, teorias e estratégias usadas no século 20 não tem mais efeitos, e não apenas o RH, qualquer profissional vai ter de criar novos mapas para navegar em novas terras. Para Recursos Humanos, é preciso pensar o futuro do talento, a liderança do século 21 e formas de despertar a criatividade e a inovação. Precisamos entender como data age, M2M (machine to machine), inteligência artificial, realidade virtual, humanoides, computação cognitiva, revolução das plataformas, apps e internet das coisas potencializam novas formas de ver e agir no mundo do trabalho.

Nesse sentido, quais são as prioridades do RH?
GG – O RH deve colocar na pauta discussões sobre a Era dos Valores, na qual o propósito vem antes do lucro como estratégia de negócios, e incentivar o poder das ideias, a economia do conhecimento, a diversidade cultural, a responsabilidade social e a ética. Que seja o líder que inspira e engaja as pessoas para explorarem o novo, inventarem possibilidades e arriscarem-se. Também deve ter foco na educação de alto impacto, preparar pessoas na resolução de problemas complexos e incentivar o poder do conhecimento coletivo. E, por fim, perceber que a transformação digital e a inovação são uma gigantesca vantagem competitiva.

Num futuro não muito distante, homens e robôs trabalharão lado a lado. Como isso vai mudar a vida das pessoas no trabalho?
GG – Bem-vindos à Era dos Robôs, da automação e da onda do desemprego tecnológico. Vivemos a transição entre decisões e ações rotineiras – automatizadas – e atitudes excepcionais – humanas. As máquinas inteligentes, que tomam decisões baseadas em dados, serão as parceiras ideais do profissional do conhecimento. Quando unirmos as interações homem-máquina e a inteligência mecânica com o melhor da inteligência coletiva chegaremos a uma nova Era do Trabalho. Saem os ferramenteiros e entram os estrategistas, sai o líder “mão na massa” e entra o líder inovador. Quando homens e robôs trabalham juntos, o que prevalece são ideias, não objetos; mente, não matéria; bits, não átomos; e interações, não transações.

NA VANGUARDA

Além de Gil Giardelli, o mundo digital será tema de quatro cases empresariais. São eles:

• Santander: Transformação Digital – O papel de RH na construção de novas competências
• Smarters: Inteligência Artificial nas Organizações
• Caixa Seguradora: Transformação Digital – Novos imperativos na gestão de pessoas
• IBM: Big Data e Analytics – Apoiando o processo de tomada de decisão

Novo aplicativo do CONARH 2017 possibilita interação entre participantes e conferencistas

A 43ª edição do CONARH – Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas – está cheia de novidades. Entre elas o lançamento do novo aplicativo para celular. Com o intuito de aumentar o networking entre os congressistas e conferencistas, a ferramenta possibilita a interação entre os públicos, além da personalização dos perfis na ferramenta. Os usuários têm acesso às informações e programações e ainda podem participar de um Game com direito a prêmios para os três primeiros colocados do ranking de conexões. O app está disponível para download gratuito nos sistemas iOS e Android.

O evento deste ano contará com seis Trilhas de Conhecimento: Estratégia, Liderança & Talentos, Cultura, Gestão & Serviços, Viabilizadores e Mercado & Tendências. Com isso, a ferramenta permite que os congressistas escolham as trilhas e as personalizem de acordo com o interesse na programação.

Em um ambiente totalmente gamificado, as pessoas poderão se conectar às outras, interagir com os palestrantes fazendo perguntas, avaliar conteúdos, consultar o mapa da Expo ABRH e acompanhar as notícias divulgadas nas redes sociais da ABRH-Brasil.

Como nos anos anteriores, quanto mais interações, mais pontos os usuários receberão para concorrer a prêmios no final do evento.

“Tivemos ótimas experiências nos anos anteriores e para 2017 investimos bastante no aumento da interação. Acreditamos que essa tecnologia permite que os profissionais se conectem mais facilmente e possam utilizar essa rede digital para aumentar as oportunidades de negócios”, afirma Sandra Gioffi, coordenadora do CONARH.

Premiação
A pontuação do game é conquistada toda vez que os usuários fazem comentários, avaliações, interações com palestras, compartilhamentos em redes sociais e geram conexão entre os participantes.

Os vencedores serão premiados da seguinte forma:

Primeiro lugar
Inscrição para o curso IBC Coaching (vencedor + acompanhante)
Uma viagem com acompanhante para o Rio de Janeiro que inclui passagens aéreas de ida e volta e duas diárias em hotel
Um quadro produzido pelo artista Marcellus Gil
Inscrição para o CONARH 2018
Segundo lugar
Um kit viagem da LG Lugar de Gente
Um curso preparatório da Certificação SHRM
Um quadro produzido pelo artista Marcellus Gil
Terceiro lugar
Quatro livros da LG Lugar de Gente
Um quadro produzido pelo artista Marcellus Gil

Empoderamento da raça negra – Utopia possível

Utopia não é o irrealizável. É a dialetização dos atos de denunciar e anunciar; o ato de denunciar a estrutura desumanizante e anunciar a estrutura humanizante…
(Paulo Freire)

Este artigo foi elaborado pensando no exemplo positivo das organizações consideradas como referenciais de excelência, pela prática de ações afirmativas para inclusão, com equidade, não apenas da raça negra, mas de todas as representações excluídas. São organizações que entendem que o importante é o respeito ao ser humano, materializado por ações de Valorização e Promoção da Diversidade e que o desenvolvimento social, crescimento econômico e sustentabilidade corporativa são consequências. É também um convite à reflexão e ação para que outras organizações que ainda não atingiram esse estágio possam ser contagiadas.

Realidade
Nossa abordagem segue o propósito de Influência e Ação, definido para a Gestão da ABRH Brasil 2016-2018, o que nos estimula aprofundar em questões que muitas vezes permanecem submersas, pois são aquelas que desconfortam.
Falar sobre a exclusão da raça negra, no mundo do trabalho, é sair da zona de conforto e provocar uma reflexão sobre questões que nos remetem a repensar valores, atitudes e comportamentos, aprendidos em um processo de educação, muitas vezes pautado na reprodução de verdades, que não nos incentivou ao autoquestionamento : como estou me conduzindo frente à diversidade? Questionamento sem culpa, porque nessa história não há certo ou errado e sim, certo e errado que dialogam visando entendimento pacífico, convivência respeitosa, sem utopia.

A pergunta que permeia nossos pensamentos: por que os negros ainda são exceção em cargos executivos no mundo corporativo? O conteúdo da letra da música “A carne”, sugere uma resposta : “a carne mais barata do mercado é a carne negra, que vai de graça pro presídio e pra debaixo de plástico, que vai de graça pro subemprego e pros hospitais psiquiátricos. A carne mais barata do mercado é a carne negra, que fez e faz história segurando esse país no braço…”. (Seu Jorge, Marcelo Yuca e Wilson Capellette).
Aqui caberiam dados estatísticos da miséria, pobreza, violência, genocídio, todos coloridos com a cor preta, mas pontuaremos este dado: dos 12,3 milhões de brasileiros desempregados, 63,7% são negros. Lembremos o círculo vicioso: escolaridade de qualidade inferior, trabalho com baixa remuneração, dificuldade de aprimoramento educacional, marginalização e submissão.
Cremos não haver a necessidade de repetir outros dados estatísticos tão bem apresentados por instituições referenciais em seus segmentos, como o Grupo de Trabalho de Direitos Humanos do Instituto Ethos (500 maiores organizações do país) e a Pesquisa Nacional por Amostra em de Domicílios (PNAD) do IBGE. Mas desses dados destacamos a convergência para uma realidade que não queremos mais: a maior parte das grandes empresas não têm ações afirmativas, políticas para inclusão com equidade ou indicadores para avaliar suas práticas. Essas ausências fazem parte das oportunidades de ações de RH.

Revolução silenciosa – Orgulho de Ser Negro
Em 2010, do total de 190 milhões de brasileiros, 91 milhões se declararam brancos,14 milhões – negros, 82 milhões- pardos, 817 mil indígenas e 2 milhões da raça amarela, sinalizando grandes mudanças culturais em nosso país. Hoje, a população autodeclarada negra soma mais de 55% dos brasileiros e este percentual vai aumentar cada vez mais, impulsionado pela revolução silenciosa do “orgulho de ser – negro”. Essa população até então invisível está excluindo de vez a vergonha e o medo do seu posicionamento como cidadãos-plenos, principalmente no ambiente de trabalho que ainda teima, em sua maioria, em receber os afrodescendentes pela porta dos fundos. É nesse momento decisivo de acesso ao trabalho que muitos atribuem a responsabilidade pelas barreiras à inclusão, aos profissionais de RH. Mas se uma organização tem como política a inclusão com equidade, esta política deveria ter sido disseminada à totalidade do público interno e externo e deveria também ser monitorada e realimentada por Compliance.
Mas, onde está o gargalo que impede a trajetória racional desse processo de inclusão da raça negra? Nos preconceitos. Nos vieses inconscientes armazenados em nossa mente, que respondem sempre que nos confrontamos com situações nas quais precisamos agir frente às questões que nos “ameaçam”. O relacionamento com os seres humanos diferentes são ameaçadores. São ameaçadores para aqueles que não tiveram a oportunidade de receber uma educação problematizadora, sendo moldados às verdades predominantes sem questionamentos à hegemonia imposta. O relacionamento com a raça negra é um dos mais “ameaçadores”, tendo sido enraizado assim em nossas mentes, pelos mais diversos meios de comunicação (família, escola, sociedade, trabalho) e ultimamente ratificado pela mídia eletrônica, que testemunha uma quantidade incontável de agressões físicas, morais; bullyng, culminando com crimes por morte, praticados contra pessoas da raça negra, simplesmente por serem negras. Todos sofremos com isso: o agressor e o agredido.

O momento é agora
Diversidade está entre os temas mais citados como tendências em Gestão de Pessoas, além de ser, reconhecidamente um dos pilares da Sustentabilidade Corporativa, compondo a sua dimensão social, requerendo o conhecimento das variáveis: histórica, cultural, política, econômica, psicológica, social, ética e… estética. A estética hoje, se sobrepõe à ética. A sociedade exige o branqueamento e não aceita o uso de traços sociais, culturais, e da história do afrodescendente. Cabelos e Cores incomodam e são barreiras à contratação, em algumas organizações.

O que as Organizações podem fazer:
Consideramos necessário alertar para algo que pode ser óbvio para muitos, mas que é vital: deixar claro qual é o seu posicionamento sobre inclusão racial, pelo exemplo, a partir da alta direção.
Howard Ross, em seu livro Everyday Bias: Identifying and Navigating recomenda as seguintes ações:
1.Examinar seus próprios antecedentes e identidades, identificando seus vieses inconscientes.
2.Explorar como o cérebro funciona, para que possa reconhecer o “viés inconsciente” como uma função natural da mente humana.
3.Expor os padrões de “viés inconsciente” para que possa verificar seu impacto nas suas decisões.
4.Confrontar seus próprios preconceitos internos de modo que possa praticar a consciência em suas vidas.
5.Identificar pontos de alavancagem organizacional para que eles possam mitigar o impacto de “viés inconsciente” em interações, processos e estruturas.
6.Praticar estratégias e ferramentas que criem mudança transformacional sistêmica em sua organização.
Como podemos observar, nosso parceiro para o entendimento dessa questão será o profissional da neurociência.

O que os profissionais de RH podem e devem fazer
Como qualquer cidadão, deve questionar-se quanto às melhorias necessárias ao seu comportamento, identificar que vieses inconscientes impactam suas relações com os negros.
Como profissional, desenvolver amplo programa de construção colaborativa, para todos os níveis na organização visando a conscientização sobre os vieses inconscientes e suas consequencias.

O que a ABRH Brasil, Associação Brasileira de Recursos Humanos vem fazendo:
Desde 2013, com a criação de uma diretoria específica de Diversidade, desenvolvemos um Programa de Valorização e Promoção da Diversidade com o apoio das diversas Seccionais no país, sensibilizando aos participantes a repensarem seus valores, atitudes e comportamentos, exemplificando com situações práticas. Nessa trajetória percebemos o quanto impactava as pessoas presentes quando falávamos da questão racial, pois o RH ainda é branco.

Nossa trajetória na ABRH soma trinta e quatro anos de voluntariado e nesse período realizamos a abordagem desse tema de forma constante e coerente com nossos propósitos, graças ao apoio dos diversos presidentes das Seccionais e ABRH Brasil, via conteúdos apresentados em centenas de matérias publicadas em jornais e revistas, apresentados em eventos; entendimentos com representantes do Ministério da Igualdade Racial/SEPPIR; parcerias firmadas com órgãos do governo, Selo Paulista de Diversidade, ONU, e Instituições de Ensino – Universidade Zumbi dos Palmares.
Hoje, graças as nossas estratégias e a oportunidade do ambiente ABRH Brasil, estamos em um momento histórico, propício para a Influência e Ação, com ênfase na profundidade e não na extensão superficial dos temas.

Homenageamos aos parceiros nessa trajetória
Ministra Luiza Bairros (homenagem póstuma). Profª Drª Maria Aparecida Bento; Prof. Dr. Helio Santos; Profª Ms. Miriam Castro, que bem representam a resistência da inteligência acadêmica, celeiro para as futuras gerações.

Jorgete Leite Lemos
Diretora de Diversidade ABRH Brasil
Diretora Executiva da Jorgete Lemos Pesquisas e Serviços

});